Viagem no tempo... Uma lição de história

Túmulos existentes

TumuloDDinis04Túmulo de D. Dinis

Fundador deste Mosteiro, o seu túmulo está situado na capela esquerda da cabeceira da igreja e é todo ele feito em calcário.

Dimensões: 293 x 145 x 121 cm(C x L x A)
Mostra vestígios de policromia, é decorado a toda a volta por um friso  de quadrifólios e mais abaixo também a toda a volta existem 12 edículas, contendo cada uma um par de figuras predominantemente de monges e monjas segurando livros.
Na parte superior do túmulo a todo o seu comprimento, repousa a figura de D. Dinis, com a cabeça apoiada sobre duas almofadas, e a seus pés dois cães de caça e alguns vestígios de figuras angélicas.
A arca tumular está assente sobre seis suportes que representam as seguintes figuras animais e humanas:
Um urso em cima de um homem, uma quimera, um camelo de joelhos com uma figura masculina, um suposto leão sem cabeça atacando uma mulher, outro animal com outra figura humana e por fim, um animal com uma juba e uma mão humana.
Túmulos existentes.

 

 

Túmulo da infanta D. Maria Afonso

Esta filha de D. Dinis, presume-se que foi vítima de morte violenta ainda na adolescência, estando a sua arca situada na capela esquerda da cabeceira da igreja.

Dimensões: 190 x 84 x 108 cm (C x L x A)
Ornamentado com as armas da família, também três edículas, algumas com figuras de monges, e brasões.

Na parte superior está a sua figura com as mãos colocadas em prece e a cabeça assente sobre duas almofadas possuindo uma veste comprida e um manto preso com uma espécie de broche.

As seus pés estão igualmente dois cães de caça alimentando-se.

 

 

Sepultura de Madre Paula e D. Urraca Paes

Na Casa do Capítulo, estão sepultadas em conjunto Madre Paula e D. Urraca Paes, que foi a terceira abadessa do mosteiro, e que nessa qualidade recebeu os restos mortais de D. Dinis.

 

 

 

Sepultura D. Violante Álvares Cabral

Abadessa, irmã de D. Pedro Álvares Cabral, descobridor do Brasil.
Foi D. Violante quem encomendou a Gil Vicente o “Auto da Cananeia”, sobre o tema do evangelho de Cananeia, e que foi encenado na igreja do Mosteiro em 1534.

 

 

Sepultura de Madre Carolina Augusta de Castro e Silva

(11/01/1816 – 1909)
A lápide desta que foi a última freira do Mosteiro de Odivelas, encontra-se na sala do Capítulo

 

 

Sepultura de Nicolau Ribeiro Soarez

Tem a seguinte inscrição:
“CAPELA. E SEPULTURA DE NICOLAO RIBEIRO SOAREZ. E DE VIUOLANTE. RABELA. SUA MOLHER. E DE SEUS. DECENDENTES. E HERDEIROS. HO QUAL FALECEU AOS 27 DA AGOSTO DE 1557″

 

 

Na sacristia existe a seguinte inscrição:

“AQUI JAZ A SERENISSIMA SENHORA DONA FELIPA FILHA DO INFANTE DOM PEDRO E DE SUA MOLHER DONA ISABEL HE NETA DEL REI DOM IOAO I VIVEO HE MOREO RECOLHIDA NESTE MOSTEIRO”.

 

 

Outras sepulturas

Estão igualmente sepultadas neste Mosteiro, largas dezenas de religiosas que aqui viveram, desde freiras a abadessas, conforme se pode observar nas respetivas lápides dispostas sob o chão dos dois claustros, na Casa do Capitulo, na igreja e um pouco por todo o Mosteiro.

Login